Última hora

Última hora

Chefe do estado-maior do exército espanhol em prisão domiciliária

Em leitura:

Chefe do estado-maior do exército espanhol em prisão domiciliária

Tamanho do texto Aa Aa

José Meno, Ttnente-General do exército espanhol, foi colocado em prisão domiciliária, por oito dias, a mando do ministro espanhol da Defesa.

O ministro José Bono vai consultar o Conselho de Ministros na próxima sessão, no dia 13, para discutir o despedimento do militar. A prisão domiciliária foi ordenada ao abrigo do Regime Disciplinar das Forças Armadas espanholas. José Meno envolveu-se numa polémica que lhe poderá custar o cargo por ter publicamente defendido que as Forças Armadas espanholas teriam de intervir caso algum estatuto de Autonomia em Espanha ultrapassasse os limites da Constituição, numa alusão ao estatuto de autonomia da Catalunha, em discussão. O discurso do Tenente-General, chefe do estado-maior do exército, foi proferido por ocasião da Páscoa Militar, esta sexta-feira, dia em que se realizam cerimónias em toda a Espanha. O Tenente-General está no activo desde 1960 e em Março passaria à reserva. Na manhã deste sábado Bono convocou o Tenente-General ao ministério para pedir explicações e saber se o sentimento declarado é partilhado por outros militares. A associação unificada de Militares apoiou a decisão do ministro, já que o regime disciplinar das forças armadas castiga autores de declarações de âmbito político que não correspondam a um militar. O regime de autonomia da Catalunha em discussão, se oficializado, criará praticamente um país dentro da Espanha. A região é das mais ricas da coroa espanhola.