Última hora

Última hora

Iuchtchenko denuncia manobra política da oposição

Em leitura:

Iuchtchenko denuncia manobra política da oposição

Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente ucraniano acusa o Parlamento de desestabilizar a situação política do país ao destituir o governo por ter concordado em pagar à Rússia quase o dobro do preço pelo fornecimento de gás. “A decisão foi tomada por um Parlamento que foi eleito há quatro anos pelo regime antigo e que está a viver as suas últimas semanas” declarou o presidente. Viktor Iuchtchenko, que falava em Astana, no Cazaquistão, considerou ainda a decisão dos parlamentares “pouco clara e ilógica”

Responsáveis ucranianos e alguns dirigentes da oposição dizem que a decisão do Parlamento teve como único objectivo paralisar o actual governo. A oposição incentivada por Julia Timochenko argumenta que o executivo não defendeu os interesses da Ucrânia. Uma ideia que ganha força nas ruas de Kiev a cerca de dois meses das eleições legislativas. “Acredito que o que foi feito foi justificado. O acordo concluído não me satisfaz e não concordo também com a forma coma as negociações foram conduzidas” refere um ucraniano. “É uma situação difícil, mas era o que devia ter sido feito, até porque as condições do acordo do gás eram injustas para a Ucrânia”, diz um outro. O Parlamento tomou a decisão de demitir o governo uma semana depois do acordo que pôs fim a uma “guerra” que conduziu a uma baixa momentânea do fornecimento de gás russo à Europa ocidental.