Última hora

Última hora

Benzekri em Bruxelas para defender o "caminho democrático" de Marrocos

Em leitura:

Benzekri em Bruxelas para defender o "caminho democrático" de Marrocos

Tamanho do texto Aa Aa

Driss Benzekri esteve em Bruxelas para apresentar o relatório encomendado pelo rei Mohammed VI sobre as exacções cometidas pelo poder marroquino após a independência, em 1956. O presidente do conselho consultivo dos Direitos Humanos em Marrocos aproveitou também a visita para explicar o papel do orgão que dirige no quadro do programa de democratização do país:

“Tratar-se-á de meter em prática um certo número de resultados operacionais acerca das indemnizações das vítimas e dos programas socio-económicos de reconstrução social, o que chamamos a reparação comunitária nas diferentes regiões. No que diz respeito ao plano de reformas, tratar-se-á de respeitar um certo número de princípios democráticos; sobre as reformas constitucionais e legislativas serão necessárias negociações, debates com os legisladores, ou seja, os parlamentários, a classe política.”

Benzekri, que esteve ele próprio preso durante 17 anos, presidiu durante quase dois anos à Instância de Equidade e Reconciliação (IER) que, entre outras medidas, procedeu a audições públicas de cerca de 200 vítimas de abusos, tortura e detenções arbitrárias.

O relatório final da IER refere pelo menos 9.779 casos de infracções aos direitos humanos nos 16.800 processos investigados.