Última hora

Última hora

Rússia usa reservas de gás para combater o frio

Em leitura:

Rússia usa reservas de gás para combater o frio

Tamanho do texto Aa Aa

A Gazprom, a companhia de gás russa, já não consegue responder convenientemente à procura devido à vaga de frio que se abateu no país. Os termómetros baixaram aos 30 graus negativos esta noite em Moscovo. As zonas remotas da Sibéria, onde a temperatura já atingiu níveis recordes com menos de 50 graus negativos, continuam com dificudades.

Segundo as autoridades, pelo menos 24 pessoas morreram nos últimos três dias devido ao frio ou a acidentes provocados pelas baixas temperaturas. A Gazprom já ontem tinha anunciado uma redução na distribuição para alguns países da Europa. O porta-voz da empresa Serguei Kupriyanov assume que a distribuição está na capacidade máxima. Já estão a recorrer a reservas diariamente. Estão a fazer os possíveis para aumentar capacidade de oferta aos clientes russos e europeus. Mas nem o frio apaga as tradições russas. É habitual, no dia da Epifânia da Igreja Ortodoxa russa, os mais corajosos tomarem banho em águas geladas. O próprio presidente da Duma, Vladimir Zhirinovsky, não quer deixar cair a tradição. Juntou-se a algumas dezenas de moscovitas no nordeste da capital recordou os primeiros baptismos russos cristãos em 980 a.C ao mergulhar sem roupa em águas com temperaturas quase insuportáveis.