Última hora

Última hora

AIEA adia votação sobre envio do nuclear iraniano ao Conselho de Segurança

Em leitura:

AIEA adia votação sobre envio do nuclear iraniano ao Conselho de Segurança

Tamanho do texto Aa Aa

O debate sobre a crise nuclear iraniana, previsto para esta tarde em Viena, foi adiado até amanhã de manhã.

A necessidade de novas consultas informais, entre os 35 membros da Agência Internacional de Energia Atómica, motivou a decisão. Em causa está o delicado envio do programa nuclear iraniano ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, sobre o qual o Organismo com sede na capital austríaca devia pronunciar-se. Uma situação que está a dar uma nova dimensão ao braço de ferro entre o Irão e o Ocidente. A atitude de desafio do presidente Ahmadinejad perante a Comunidade Internacional sobe de tom e a colaboração com a Agência Internacional de Energia Atómica está em causa, apesar de, na resolução analisada em Viena, não estar ainda prevista a imposição de sanções. Em Teerão, a mobilização popular é cada vez maior e ninguém parece renunciar ao direito inalienável à produção de energia nuclear com fins pacíficos, como propalado pelo regime de República Islâmica. Hussein Kamalzadeh, dentista na capital iraniana, apresenta o sentimento da opinião pública local: “A Europa e os países ocidentais não vão beneficiar com as eventuais sanções ao Irão, porque as condições no nosso país já não são como nos primeiros anos da Revolução Islâmica. Temos agora uma longa experiência a enfrentar sanções.” Após o fracasso de dois anos e meio de conversações, a comunidade internacional considera que o Irão tem de fazer prova de confiança. É que a República Islâmica manteve o programa nuclear oculto durante 18 anos, pelo que agora pouca credibilidade terá quando defende almejar apenas à produção de energia.