Última hora

Última hora

Egipto: familiares das vítimas do naufrágio em cólera

Em leitura:

Egipto: familiares das vítimas do naufrágio em cólera

Tamanho do texto Aa Aa

É entre críticas e desespero que continua o drama do naufrágio no Mar Vermelho.No porto de Hurghada, no Egipto, choram-se os mortos e esperam-se por notícias, em relação aos 800 passageiros ainda por encontrar.Para estes a esperança de vida começa a desaparecer. Melhor sorte teve um rapazinho de seis anos que sobreviveu mesmo tendo passado 36 horas dentro de água. Três dias depois da tragédia, que matou perto de duas centenas de pessoas, até ao momento, a cólera dos familiares das vítimas aumenta à medida que o inquérito em curso traz novos dados sobre as causas do acidente. No porto de Hurghada, para onde foram levados 378 sobrevivente, todos reclamam informações. O Al-Salaam 98, que fazia a rota entre o porto saudita de Dubah e o egípcio de Safaga, transportava 1.415 pessoas quando se afundou a cerca de metade do seu trajecto. A imprensa egípcia é unânime a apontar o dedo aos problemas de organização das operações de socorro por parte das autoridades e ao laxismo no controlo marítimo das condições de segurança.