Última hora

Última hora

Impaciência provoca morte em dia eleitoral no Haiti

Em leitura:

Impaciência provoca morte em dia eleitoral no Haiti

Tamanho do texto Aa Aa

A esperança depositada nas eleições presidenciais e parlamentares do Haiti levou a que muitos dos cerca de 3 milhões e meio de eleitores chegassem duas horas antes da abertura das urnas e que mais tarde forçassem a entrada nalgumas assembleias de voto.

Na capital, Port-au-Prince, existe mesmo o registo da morte de um idoso por asfixia. Localizado no mar das Caraíbas, o Haiti é considerado o país mais pobre da América do Sul e estas são as primeiras eleições desde a insurreição armada que obrigou o presidente Bertrand Aristide a exilar-se na África do Sul, em 2004. O favorito à vitória nas presidenciais é o antigo colaborador de Aristide e ex-chefe de Estado, René Préval. O seu grande rival é um homem ligado à indústria do país, Charles Baker. No Haiti estão presentes cerca de 9 mil soldados das Nações Unidas com a missão de manter a paz num país onde a insegurança é endémica.