Última hora

Última hora

Espanha cautelosa quanto a notícias sobre cessar-fogo iminente da ETA

Em leitura:

Espanha cautelosa quanto a notícias sobre cessar-fogo iminente da ETA

Tamanho do texto Aa Aa

Face às notícias da imprensa catalã que davam como iminente esta quinta-feira um cessar-fogo da ETA, o governo e os partidos políticos em Espanha reagiram com cautela. Horas mais tarde deu-se um acontecimento que justificou essa atitude prudente.

Uma bomba de potência desconhecida explodiu no País Basco, numa empresa de construção situada a 12 km de Bilbao. Por volta das 22 horas, o jornal Gara foi avisado da explosão e uma hora depois deu-se a deflagração. O chefe do Governo Autónomo Basco, Juan José Ibarretxe, comentava horas antes o eventual abandono das armas por parte do grupo armado. “Estivemos sempre prontos para as coisas más, agora podemos preparar-nos para as coisas boas. Estamos prontos para falar de um cessar-fogo da ETA. Sabem tão bem como eu que nos últimos meses houve pelo menos seis ou sete datas precisas”, afirmou Ibarretxe. O eventual processo negocial com a ETA marcou esta quarta-feira o debate no congresso dos deputados em Madrid. Houve uma intensa troca de acusações entre o presidente do governo espanhol Jose Luis Rodriguez Zapatero e Mariano Rajoy, líder do PP. Angel Acebes do Partido Popular considera que o governo faz demasiadas cedências ao grupo terrorista. “Propor negociações todos os dias de forma insistente em vez de os levar a tribunal é dar-lhe esperanças e isso é um erro profundo aconteça o que acontecer nos próximos dias”, lançou Acebes. O parlamento espanhol aprovou em Maio uma proposta que autoriza o governo anegociar com a ETA, caso a organização renuncie às armas. Uma trégua definitiva poria fim a quase 40 anos de violência no País Basco que levaram à morte de mais de 850 pessoas.