Última hora

Última hora

Mladic foragido há mais de 10 anos

Em leitura:

Mladic foragido há mais de 10 anos

Tamanho do texto Aa Aa

As campas do cemitério de Srebrenica reflectem as barbaridades cometidas sob as ordens de Ratko Mladic. Em Julho de 1995, o general, chefe das forças sérvias da Bósnia, ordenou a matança de milhares de homens e rapazes muçulmanos. Dez anos depois o terror ainda subsiste.

“Estou aterrorizada pelo facto de Mladic poder regressar e matar-nos a todos. Ele continua em liberdade… como e porquê?”, questiona uma mulher, que recorda os entes queridos, no cemitério. Apesar do mandado internacional e dos esforços para o capturar, Mladic escapa a todas as pressões políticas e diplomáticas, segundo fontes militares, graças à cumplicidade dos serviços secretos e também da própria igreja sérvia. Até à queda de Milosevic, em 2000, deslocava-se sem receio e até ao ano passado recebia uma pensão do exército Sérvio. Muitos crêem que se encontra na República Srpska, refugiando-se em inúmeros “bunkers”, mas para o TPI, Mladic permanece na Sérvia, protegido pelo exército do país. Um argumento que pode explicar o insucesso de várias operações, dirigidas por militares estrangeiros como a de Dezembro de 2004, quando um “bunker” inabitado foi descoberto em Zepa pelas forças da NATO, e que terá servido de refúgio a Mladic. A última operação com o objectivo de o capturar ocorreu em Janeiro, dias depois da presença na Sérvia da procuradora do TPI, Carla del Ponte. Belgrado querer aderir à União Europeia e a captura de Madlic é considerada um assunto de Estado. Segundo um analista em assuntos militares e ex-colega de Mladic no antigo exército da Jugoslávia, Ljubodrag Stojadinovic, rendição não faz parte do vocabulário do general. “Não acho que se vá render, uma vez que não está de acordo com os seus ideais básicos. Tal acto iria anular toda a sua biografia dos últimos 10, 11 anos, desde que se encontra a monte. Duvido que venda, por qualquer que seja a quantia, a sua liberdade, se é que podemos chamar liberdade”, refere o coronel. Mladic, continua a monte. Resta saber por quanto tempo a sua aura de herói o vai manter impune ou se um dia será capturado vivo ou morto.