Última hora

Última hora

Défice alemãosob vigilância

Em leitura:

Défice alemãosob vigilância

Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia confirmou, esta quarta-feira, que o governo de Angela Merkl tem um prazo de quatro meses, para adoptar medidas de combate ao défice orçamental

Mas o comissário Joaquin Almunia está confiante numa correcção rápida. Em conferência de imprensa, o comissário disse que “a Alemanha tem de assegurar que o seu défice orçamental ficará ligeiramente abaixo dos 3 por cento, até ao final de 2007. A decisão do procedimento contra a Alemanha mostra que ninguém, mesmo as grandes economias da União Europeia se pode subtrair às regras. O tratamento é igual para todos, pequenos e grandes países. É preciso cumprir o pacto”

O défice alemão situava-se nos 3,3 por cento, em 2005, prevendo-se que cresça, em 2006.

Um dédice que reflecte também o comportamento orçamental das lands e das autarquias, que gozam de grande autonomia.

Na reunião desta quarta-feira, a Comissão exortou igualmente a Polónia a redobrar esforços, para colocar o seu défice abaixo dos 3 por cento. Isto, apesar da taxa de crescimento anual ser de 5,3 por cento, uma das melhores performances da União.

A ministra das Finanças de Varsóvia esteve em Bruxelas, deixou uma declaração de boas intenções, mas não adiantou nenhum prazo para a entrada da Polónia, na zona Euro.

Preocupados com a troca de moeda estão os eslovénos. Os comerciantes já fazem a reconversão dos preços. Um primeiro passo para a adaptação ao Euro que vai chegar em Janeiro de 2007.