Última hora

Última hora

Gary Glitter declara-se não culpado de "actos obscenos" com duas meninas

Em leitura:

Gary Glitter declara-se não culpado de "actos obscenos" com duas meninas

Tamanho do texto Aa Aa

A antiga estrela de rock britânica, Gary Glitter, declarou-se não culpado do crime de “actos obscenos” com duas meninas. O processo de Glitter teve início esta quinta-feira no tribunal popular de Ba Ria-Vung Tau, no sul do Vietname. Inicialmente o britânico era acusado de pedofilia, crime punido no Vietname com pena de morte, mas por falta de provas o procurador teve que rever a acusação. O arguido, de 61 anos, é acusado de ter molestado duas meninas de 11 e 12 anos numa casa na cidade de Vung Tau.

Glitter defende-se, afirmando que a única coisa que fez foi ensinar inglês às duas meninas, duas prostitutas de acordo com a polícia, e que já pagou dois mil dólares a cada uma das famílias em jeito de compensação. Glitter, nome artístico que significa lantejoulas e que incorre numa pena que pode ir dos três aos sete anos de prisão, ficou conhecido no início dos anos 70 devido aos seus fatos prateados e perucas extravagantes e graças ao tema “I’m the Leader of the Gang”. Em 1997, Glitter foi condenado a quatro meses de prisão no Reino Unido depois de um técnico informático ter descoberto fotos de pedofilia no disco duro do seu computador.