Última hora

Última hora

Fuinha com H5N1 confirmada na ilha alemã de Rugen

Em leitura:

Fuinha com H5N1 confirmada na ilha alemã de Rugen

Tamanho do texto Aa Aa

Depois dos gatos as fuinhas. As autoridades veterinárias da ilha alemã de Rugen, no Mar Báltico, detectaram pela primeira vez uma fuinha contaminada com o vírus H5N1.

O mamífero carnívoro, que ainda estava vivo na altura da descoberta, foi encontrado no início de Março, em Schaprode na mesma região da ilha de Rugen onde já foram encontrados três gatos mortos com a mais perigosa estirpe do vírus da gripe das aves. Entretanto, o laboratório britânico de Weybridge confirmou a presença do vírus H5N1 num cisne encontrado morto na Sérvia. Na semana passada, o director do Instituto Veterinário sérvio, Dejan Krnjaic, anunciou que o vírus tinha sido detectado em dois cisnes mortos, um encontrado em Backi Monostor, 200 quilómetros a noroeste de Belgrado, e o outro em Bacevci, nas margens do rio Drina, que faz fronteira entre a Sérvia e a Bósnia. Krnjaic referiu ainda que foram tomadas medidas de isolamento das aves de capoeira e aplicados controlos regulares nos locais onde os cisnes foram encontrados. O vírus H5N1 apareceu em Fevereiro, essencialmente em aves selvagens, em numerosos países europeus, nomeadamente na Croácia, Hungria e Albânia, vizinhos da Sérvia-Montenegro. Da Bélgica surge a informação de que o homem que apresentava sintomas gripais à chegada de uma viagem à China, no domingo, não está contaminado com o vírus H5N1.