Última hora

Última hora

Estudantes e sindicatos lançam ultimato a Dominique de Villepin

Em leitura:

Estudantes e sindicatos lançam ultimato a Dominique de Villepin

Tamanho do texto Aa Aa

Meio milhão de pessoas, na sua maioria jovens, sairam às ruas em França para mais um dia de protestos contra o Contrato Primeiro Emprego.

Dirigentes sindicais e estudantis deram este sábado ao governo francês um prazo de 48 horas para suspender o polémico contrato, ameaçando recorrer a uma greve geral caso a lei não seja extinta até segunda-feira de manhã. Os maiores protestos ocorreram em Paris onde os organizadores estimaram a presença de cerca de 400 mil manifestantes. Números que, como é costume, não condizem com as estatísticas oficiais. Segundo o ministério do Interior francês na capital juntaram-se apenas oitenta mil manifestantes. Apesar da maioria dos protestos terem decorrido de forma pacífica foram registados confrontos que em Paris levaram a polícia a lançar gás lacrimogénio e a deter perto de 60 manifestantes. O embate provocou ferimentos em 12 estudantes e 4 polícias. As forças policiais registaram confrontos noutras cidades, como Rennes onde as unidades anti-motim carregaram sobre um grupo de manifestantes que bloqueava uma linha férrea. O Contrato Primeiro Emprego, medida impopular da iniciativa do primeiro-ministro Dominique de Villepin, poderá ter custos políticos para o governante que terá planos para uma candidatura às presidenciais do próximo ano. O emprego é uma prioridade política em França onde a taxa de desempregados atinge os 9,6 por cento.