Última hora

Última hora

Iraque à beira da guerra civil três anos após invasão

Em leitura:

Iraque à beira da guerra civil três anos após invasão

Tamanho do texto Aa Aa

Três anos após a invasão do Iraque pela coligação anglo-americana, a violência continua a dominar o quotidiano no território. O antagonismo entre os diferentes grupos políticos religiosos é cada vez mais vísivel. O próprio presidente iraquiano Jalal Talabani advertiu já para o risco de guerra civil. Um analista da Universidade de Bagdad afirmou que “a situação piora de dia para dia devido às políticas e medidas das tropas ocupantes”.

No plano político, não há consensos sobre a partilha do poder. Esta quinta-feira, o parlamento reuniu-se pela primeira vez mas por falta de acordo não foi capaz de escolher o presidente da assembleia como dita a constituição. Nas ruas, a discórdia política e religiosa exprimi-se violentamente.No último mês, a luta entre xiitas e sunitas fez mais de 400 mortos em todo o país. O mal-estar da população é agravado por uma economia paralisada. As exportações de petróleo caíram para metade desde a invasão do teritório. Segundo os analistas, mesmo com estabilidade política, serão precisos entre 5 a 7 anos para recupera da crise que atinge a produção petrolífera. Nos Estados Unidos, a opinião pública é cada vez mais avessa à guerra. O presidente George W. Bush é cada vez menos popular.