Última hora

Última hora

Manifestantes na Bielorrússia "desaparecem" sem deixar rasto

Em leitura:

Manifestantes na Bielorrússia "desaparecem" sem deixar rasto

Tamanho do texto Aa Aa

A pouco e pouco, as autoridades bielorrussas tentam desmobilizar os manifestantes da Praça de Outubro em Minsk. As organizações não governamentais começam a registar que alguns dos colaboradores estão a desaparecer. Entre eles, estão dois filhos do líder da oposição Alexander Milinkevitch que terão partido num carro para levar comida aos manifestantes e, de acordo com a ANSA, nunca mais apareceram.

Segundo os números da oposição e das ONG’s, foram detidas até agora 108 pessoas, entre opositores partidários e jornalistas, desde domingo à noite. Uma responsável do Centro de Direitos do Homem de Vesna, em Minsk, revela que três membros foram detidos e condenados a dez dias de prisão. A polícia tem sido muito vaga nas informações, dizendo desconhecer a esmagadora maioria das pessoas que alegadamente foram detidas. Esta habitante de Minsk diz que vai ficar até que outros venham para a Praça, pois precisa de descansar algumas horas e confessa que tem sido duro manter-se de pé durante várias horas ao frio. A vitória de Alexander Lukachenko nas eleições de domingo é contestada tanto dentro de portas como a nível internacional: os Estados Unidos já disseram que não acreditam nos resultados, a União Europeia estuda sanções. Os opositores de Lukachenko tentam pôr em marcha uma revolução semelhante a duas outras pacíficas, na Ucrânia e na Geórgia. O presidente russo dá todo o apoio ao vencedor oficial das presidenciais bielorussas.