Última hora

Última hora

Opositores de Lukachenko não desistem

Em leitura:

Opositores de Lukachenko não desistem

Tamanho do texto Aa Aa

Os opositores de presidente biolerusso mantêem a contestação à sua reeleição, num escrutínio que continua marcado por um conjunto de suspeitas graves. Esta terça-feira, os manifestantes foram visitados por cinco embaixadores de países da União Europeia, reforçando assim as suspeitas, levantadas também pelos Estados Unidos e pela Organização de Segurança e Cooperação na Europa.

Os embaixadores da França e do Reino Unido falaram aos jornalistas. O representante de Paris disse que o objectivo da visita era ver de perto a manifestação: “Viemos aqui para ter uma visão do que se está passar. Os media nacionais não dizem nada sobre esta manifestação e por isso não temos nenhuma informação. Viemos ver o que se está a acontecer aqui” Para o representante do Reino Unido, é uma questão de direitos humanos que está em causa: “Nós, embaixadores, estamos aqui porque acreditamos nos direitos humanos e no processo democrático. E parte do processo democrático é o direito à participação do Povo, de expressar os seus pontos de vista, direitos sujeitos a constrangimentos, na Bielorrússia”. Alexander Lukachenko só conta, por enquanto, com o apoio de Moscovo, única das grandes capitais que aceita os resultados do escrutínio – uma reeleição por 82 por cento dos votos expressos. Avolumam-se entretanto, os rumores da preparação de uma acção musculada, contra os manifestantes.