Última hora

Última hora

Ventos de Leste agitam legislativas ucranianas

Em leitura:

Ventos de Leste agitam legislativas ucranianas

Tamanho do texto Aa Aa

Quinze meses depois da “revolução laranja” na Ucrânia, o país vai hoje às urnas durante um sufrágio legislativo que pode marcar o regresso do poder deposto à cena política. Trinta e sete milhões de eleitores votam das 7 às 19 horas locais, menos três horas em Lisboa, para decidir a repartição dos 450 lugares do “Rada Suprema”, o parlamento nacional. No total, 45 partidos apresentam-se ao sufrágio mas apenas sete têm hipóteses de ultrapassar a barreira dos 3% de votos.

Como há 15 meses nas ruas, o combate eleitoral mais cerrado faz-se entre partidos pró-ocidentais e partidos pró-russos, mas desta vez os ex-revolucionários encontram-se divididos e fragilizados. Segundo as sondagens, o partido Nossa Ucrânia do presidente Viktor Yuchtchenko, deverá ficar em segundo lugar no sufrágio com cerca de 20% de votos. A formação defende a aproximação à União Europeia e à NATO, prometendo combater a recessão económica em que o país mergulhou depois da revolução. Um programa similiar ao da antiga primeiro-ministro e agora rival do presidenteIulia Timochenko. Segundo as sondagens, o Bloco Timochenko deverá recolher 17% dos votos, o que significa que só de reunidos, os antigos revolucionários poderão combater uma vez mais Viktor Yanukovitch do Partido das Regiões. O político pró-russo que a “revolução laranja” impediu de ser presidente é agora o candidato favorito à vitória com 30% das intenções de voto e eventualmente sem uma maioria para formar governo. O anúncio dos resultados finais deverá ser conhecido o mais tardar 24 horas depois do fim do sufrágio. Falta agora saber se a coligação que irá governar o país será formada de velhos amigos ou velhos inimigos.