Última hora

Última hora

Sem maioria absoluta Kadima lidera sondagens em Israel

Em leitura:

Sem maioria absoluta Kadima lidera sondagens em Israel

Tamanho do texto Aa Aa

Na véspera das eleições legislativas em Israel, o Partido Kadima, de centro, está à frente de todas as sondagens. Fundado pelo primeiro-ministro Ariel Sharon, em coma desde Janeiro, o Kadima é agora liderado por Ehud Olmert, chefe interino do executivo.

Entre as suas fileiras está o ex-líder carismático dos trabalhistas, Shimon Peres, que se juntou ao Kadima, partido defensor do plano unilateral de definição das fronteiras de Israel. Danny Rubenstein, analista do diário Haaretz, afirma que “existe uma nova política em Israel, a da unilateralidade, que apenas favorece Israel. O que se passa do outro lado não é importante, essa política ganhou mais adeptos desde a vitória do Hamas”. Os trabalhistas, agora liderados pelo antigo sindicalista Amir Peretz, mantêm-se como a segunda força política. Poderão ser os aliados naturais do Kadima para um governo de coligação. Para o actual governo interino de Ehud Olmert, as eleições são, de certa forma, um referendo ao “plano de consolidação” territorial, que prevê, caso falhe o plano de paz com os palestinianos, a definição das fronteiras permanentes de Israel e a evacuação dos colonatos judeus isolados, reforçando os de maiores dimensões. Para o ex-primeiro-ministro de direita, Benjamin Netanyahu, estará possivelmente reservado o terceiro lugar nas eleições. O Kadima deverá obter mais de 30 mandatos, os trabalhistas pouco mais de 20 e o Likud cerca de 15. O hemiciclo israelita tem 120 assentos.