Última hora

Última hora

Jaruzelski acusado de "crime comunista"

Em leitura:

Jaruzelski acusado de "crime comunista"

Tamanho do texto Aa Aa

O antigo homem forte da Polónia foi inculpado de “crime comunista” por ter instaurado a Lei Marcial em 1981 contra o sindicato independente Solidariedade.

Wojciech Jaruzelski, chefe de governo e líder do partido comunista polaco entre 1981 e 1989, incorre numa pena que pode ir até aos 8 anos de cárcere. A acusação acredita que Jaruzelski actuou de forma ilegal ao decretar a lei marcial que durou dois anos até 1983. Vinte e cinco anos depois, a decisão continua portanto a ser controversa. Em 1996, o parlamento polaco absolveu o antigo líder de qualquer responsabilidade constitucional. Jaruzelski continua a dizer que a instauração da lei marcial foi a decisão correcta a tomar na altura, pois evitou um combate violento entre 10 milhões de pessoas do Solidariedade e as tropas soviéticas que, segundo o ex-dirigente, iam invadir o território. Esta é, de facto, uma das teses que joga a favor do general que, depois da viragem pacífica do país para a democracia, se retirou da vida pública. Mas os opositores e o procurador de justiça acusam Jaruzelski de usar a lei marcial para reprimir o sindicato Solidariedade e violar os Direitos Humanos, conseguindo assim adiar a queda do comunismo no leste europeu por mais sete anos.