Última hora

Última hora

Washington apela a Bruxelas para que trate Microsoft de forma "equilibrada e transparente"

Em leitura:

Washington apela a Bruxelas para que trate Microsoft de forma "equilibrada e transparente"

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto a Microsoft se prepara para provar que cumpriu as exigências da União, os Estados Unidos vêm em defesa do gigante norte-americano da informática. Washington enviou um memorando no qual apela a Bruxelas para que os procedimentos relativos a este caso sejam “equilibrados e transparentes.”

Neste segundo dia de audiência administrativa, têm a palavra os concorrentes. IBM, Oracle ou Novell diz que a documentação técnica fornecida pela empresa é insuficiente para desenvolver software compatível com o sistema Windows.

A Microsoft alega que disponibilizou 12 mil páginas de documentação e 500 horas de apoio técnico.
Brad Smith mostrou-se optimista. O número três da empresa diz que “o primeiro dia de audiências foi muito construtivo” e que “este tipo de diálogo devia ter começado mais cedo”. E acredita que ele “pode conduzir a uma solução.”

Para a Microsoft, uma solução significa não ser condenada a uma multa diária de dois milhões de euros, como pede a Comissão Europeia. Bruxelas, contudo, só tomará uma decisão “dentro de algumas semanas”. Eventualmente, na mesma altura em que se espera o veredicto do Tribunal Europeu de Justiça, ao qual a Microsoft recorreu.

Em Março de 2004, Bruxelas condenou a empresa produtora do Windows por abuso de posição dominante.