Última hora

Última hora

Eleições tailandesas marcadas pela tensão

Em leitura:

Eleições tailandesas marcadas pela tensão

Tamanho do texto Aa Aa

A Tailândia foi hoje às urnas. O primeiro-ministro, Thaksin Shinawatra, acredita poder vencer estas legislativas antecipadas, apesar das acusações e da contestação de que é alvo. A tensão separatista no sul do país, junto à fronteira com a Malásia, poderá justificar a explosão de duas bombas, logo após o encerramento das urnas ferindo quatro militares. Nesta região mais de 1100 pessoas foram mortas na insurreição separatista há dois anos. Os três maiores partidos da oposição – Partido Democrata, Nação Tailandesa e Partido do Povo – decidiram boicotar as eleições depois de o primeiro-ministro recusar uma proposta de revisão constitucional destinada a introduzir mecanismos de controlo da acção do chefe do Governo. O primeiro-ministro, de 56 anos, marcou eleições legislativas três anos antes do previsto, na sequência de acusações de abuso de poder e de corrupção, que motivaram numerosas manifestações de protesto. Thaksin Shinawatra, um antigo polícia que ficou milionário entrou na política em 2001, sendo reeleito em 2005.