Última hora

Última hora

Estudantes anti-bloqueios reivindicam o direito a estudar

Em leitura:

Estudantes anti-bloqueios reivindicam o direito a estudar

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto os activistas anti-CPE mobilizam forças para as manifestações e greves da próxima terça-feira, outros, os contra-manifestantes são cada vez mais.

Trata-se de jovens que, independentemente de estarem contra ou a favor do Contrato Primeiro Emprego, querem estudar, são contra os bloqueios das universidades, até porque nesta altura arriscam-se a perder o ano. O calendário de exames não foi fixado. Um jovem diz que estão a “protestar pela liberdade estudantil, ou seja, quem está contra o CPE tem todo o direito de se manifestar mas não tem o direito de impedir que outros estudem”; Um outro parisiense diz que “toda a gente pode manifestar-se, pode-se ser a favor ou contra o CPE, não é isso que está em causa, mas bloquear o país e as universidades não pode ser”. E garante que “esta luta nada tem a ver com a política. Mas até agora é a voz da maioria dos estudantes que soa mais alto, ajudados pelos assalariados. Para a próxima terça-feira, estão previstos mais bloqueios, manifestações e paralisações. Esperam-se fortes perturbações nos transportes, nas escolas, onde muitos professores devem também fazer greve, nos correios e nas telecomunicações, nos media, nos bancos, nos sectores energético e químico, no comércio e também na construção civil.