Última hora

Última hora

Debate Berlusconi vs. Prodi pára Itália

Em leitura:

Debate Berlusconi vs. Prodi pára Itália

Tamanho do texto Aa Aa

A Itália parou para ver o segundo e último debate entre o primeiro-ministro,Silvio Berlusconi, e o líder da oposição de centro-esquerda, Romano Prodi. As legislativas realizam-se nos dias 9 e 10 de Abril. O debate esteve quente entre a troca de pontos de vista políticos e de insultos. A questão fiscal dominou a discussão.

“Vocês não podem andar para aí a dizer que eu vou criar novos impostos. Vamos apenas reintroduzir o imposto sucessório mas somente para as grandes fortunas, para quem tem milhões de euros” afirmou o antigo presidente da Comissão Europeia. Todavia o primeiro-ministro rebateu a promessa do seu adversário: “os candidatos esquerdistas não são fiáveis nesta matéria. É que quando estiver no parlamento para legislar sobre a política fiscal vai estar de acordo com 5 deputados enquanto os restantes 150 deputados da extrema-esquerda pertencentes à sua coligação vão estar a pensar exactamente o contrário.” A situação do défice das contas públicas italianas foi igualmente abordada. Silvio Berlusconi afirmou que o resultado actual é uma consequência do estado em que a esquerda deixou o erário público há cinco anos. Romani Prodi indignou-se e exigiu ser respeitado: “Durante cinco anos houve um aumento descontrolado da despesa pública, de tal maneira que agora nos encontramos fora dos critérios de Maastricht. Eu percebo o problema do primeiro-ministro com os critérios, afinal ele não suporta crtérios nenhuns, mas esta é a situação na qual nos encontramos.” Nas intervenções finais, Berlusconi confessou que o seu governo poderia ter feito mais nos últimos cinco anos mas, sublinhou, a Itália é uma empresa complicada. Por isso necessita de mais tempo para concluir o seu projecto para o país. E concluiu dizendo que pretende suprimir a contribuição autárquica. Já Prodi contrapôs com a unidade da sua coligação. “Um pacto une os diferentes partidos para recolocar a Itália no sítio que merece, mas para tal é necessária justiça e harmonia social.” De acordo com os analistas, o debate saldou-se por um empate.