Última hora

Última hora

Hungria na véspera da primeira fase das legislativas

Em leitura:

Hungria na véspera da primeira fase das legislativas

Tamanho do texto Aa Aa

A Hungria realiza este domingo as primeiras eleições desde a adesão à União Europeia em 2004. Mas na véspera da primeira fase das legislativas ninguém sabe quem vai ganhar. A diferença nas sondagens entre os socialistas, no poder, e a oposição de direita é mínima, há um elevado número de indecisos e os resultados dos pequenos partidos podem ser determinantes.

No total, são chamados às urnas cerca de oito milhões de húngaros, após uma campanha centrada em preocupações económicas. Viktor Orban, líder do partido Fidesz, gostaria de recuperar o cargo que perdeu há quatro anos. Defende uma política proteccionista contra as sociedades estrangeiras, o que agrada ao eleitorado das zonas rurais. Os socialistas confiam em Ferenc Gyurcsany, actual primeiro-ministro, para se manterem no poder. O milionário conseguiu remodelar a imagem dos ex-comunistas. O seu programa defende uma economia liberal capaz de enfrentar e vencer os desafios mundiais. Discurso que agrada ao eleitorado citadino. Mas as promessas eleitorais acabaram por ser as mesmas: baixar os impostos e aumentar o montante das reformas. A União Europeia preferia que se discutisse o grande desafio: como sanar as finanças públicas. Budapeste deseja aderir à moeda única em 2010, mas o seu défice público ultrapassa os seis por cento, mesmo se o crescimento económico ronda os quatro por cento por ano. A segunda fase das legislativas terá lugar a 23 de Abril.