Última hora

Última hora

Fim de 43 anos de fuga de Bernardo Provenzano, chefe da máfia siciliana

Em leitura:

Fim de 43 anos de fuga de Bernardo Provenzano, chefe da máfia siciliana

Tamanho do texto Aa Aa

Ao fim de 43 anos, as autoridades italianas detiveram Bernardo Provenzano. O chefe da máfia siciliana da Cosa Nostra foi detido na região natal: Corleone, perto de Palermo, na Sicília, onde é interrogado.

Conhecido da polícia através de uma foto de quando tinha 25 anos, retratos robô e descrições de mafiosos arrependidos, escondia-se numa cabana de pastor, não resistiu e declinou de imediato a identidade. A polícia diz que não houve qualquer denúncia ou traição. Giuseppe Pignatone, procurador-adjunto de Palermo, afirma que, nesta última fase da investigação, seguiram o percurso de encomendas e mensagens desde a casa da família e a zonarural. Pignatone explica que os julgamentos e a acção policial levaram a que se tivesse isolado e se escondesse onde pensava estar seguro. Bernardo Provenzano, com 73 anos, chegou à chefia da máfia em 1993, depois da detenção de Toto Riina. Conhecido como “Binnu o tractor”, pela violência com que eliminava inimigos, Provenzano era também uma lenda pela forma como iludiu e escapou à polícia ao longo de quatro décadas. Foi condenado, à revelia, a prisão perpétua por uma dezena de homicídios. Nos últimos anos, defendia uma espécie de trégua para melhor infiltrar a sociedade e rentabilizar as actividades.