Última hora

Última hora

Sarkozy defende imigração "selectiva"

Em leitura:

Sarkozy defende imigração "selectiva"

Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento francês começou a discutir a nova lei de imigração “selectiva”, um projecto polémico contestado pelo centro-esquerda, organizações humanitárias esindicatos para além de igrejas cristãs e líderes muçulmanos.

Nas palavras do ministro do Interior, Nicolas Sarkozy, pretende-se estimular uma imigração “escolhida”, de pessoas mais qualificadas, em detrimento duma imigração “sofrida”, de gente pobre à procura do El Dorado na terra das oportunidades: “Recusamos pessoas para quem temos trabalho e aceitamos outros infelizes para quem não temos nem casa, nem trabalho, e que terminam nos squats, que no mês de Agosto, na capital da França, pegam fogo”. “Os franceses recusam ser prisioneiros de dois extremos: a imigração zero dum lado, a imigração total” do outro”. Uma “lei equilibrada”, segundo Sarkozy, porque ele é atacado tanto pela extrema-direita, que o acusa de “laxismo” como pela esquerda, que o acusa de “xenofobia”. O primeiro-ministro Dominique de Villepin disse apoiar a lei daquele que é o seu principal adversário na corrida para ser o candidato da direita ás presidenciais de 2007. No entanto Villepin, manifestou-se disponível para eventualmente flexibilizar a Lei de forma a torna-la um pouco menos dura.