Última hora

Última hora

Chade: Deby deverá vencer presidenciais em clima de grande tensão

Em leitura:

Chade: Deby deverá vencer presidenciais em clima de grande tensão

Tamanho do texto Aa Aa

Idriss Deby, presidente cessante do Chade, não deverá ter grandes dificuldades para vencer as presidenciais desta quarta-feira. Apesar de se disputar apenas a primeira volta, o actual chefe de Estado é o grande favorito à vitória, até porque a oposição decidiu boicotar o escrutínio.

5,8 milhões de chadianos, de um total de 8,8 milhões de habitantes, são chamados às urnas num clima de grande tensão. Idriss Deby é contestado internamente e a nível internacional pela utilização que faz dos recursos de petróleo do país. Deby, de 54 anos, alterou a Constituição, no ano passado, através de um referendo que foi boicotado pela oposição, para poder candidatar-se a um terceiro mandato de cinco anos. Kamougue Abderkoder, líder da União para a Mudança e Democracia, explica que não participa nestas eleições porque “o presidente fez tudo para ganhar sem qualquer esforço e a isso já não se pode chamar eleições”. Estas são as terceiras eleições democráticas no país após a independência da França, em 1960, tendo as primeiras ocorrido em 1996, seis anos depois do actual chefe de Estado ter derrubado Hissén Habré através de um golpe de Estado. Os rebeldes da Frente Unida para a Mudança, que lideraram a tentativa de golpe do mês passado, já ameaçaram fazer “qualquer coisa” para impedir que as eleições se realizem com normalidade.