Última hora

Última hora

Eleições locais parciais podem precipitar saída de cena de Blair

Em leitura:

Eleições locais parciais podem precipitar saída de cena de Blair

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro britânico Tony Blair enfrentava esta manhã com um sorriso aquela que muitos anunciam já como uma “quinta-feira negra” para os trabalhistas britânicos. Segundo as últimas sondagens o partido Labour poderá sofrer a maior derrota eleitoral das últimas décadas, nas eleições locais parciais que se realizam hoje em Inglaterra.

No tradicional teste eleitoral, a meio-mandato do governo, o partido poderá perder o controlo de entre 15 a 16 municípios, nomeadamente em Londres. Ao final de nove anos no poder, Blair poderá não resistir nas urnas aos escândalos que abalam vários membros do seu governo e às acusações de incompetência na gestão de dossiês como o da educação ou do serviço de saúde. Do lado dos conservadores, o sufrágio de hoje constitui um primeiro teste ao novo líder dos Tories, o mediático David Cameron, que poderá resgatar ao Labour alguns dos seus bastiões, principalmente nos grandes centros urbanos como Manchester, Hammersmith e Fulham. Para clamar vitória os conservadores precisam de eleger pelo menos mais 100 munícipes. O descontentamento com os trabalhistas deverá beneficiar igualmente os Liberais Democratas de Menzies Campbell, que também enfrenta hoje o seu baptismo de fogo eleitoral. Os Lib Dem deverão manter a sua posição de terceira formação no país, vencendo fora dos grandes centros urbanos, em especial em Hull, a circunscrição do vice-primeiro-ministro John Prescott, manchado nos últimos dias pelo escândalo do seu envolvimento extraconjugal com uma secretária. Os pequenos partidos deverão também sair a ganhar do sufrágio de hoje, em especial a formação de extrema-direita BNP. O cenário previsto pelas sondagens faz muitos analistas pressagiar uma saída antecipada de Blair do governo antes do fim do mandato em 2008, provavelmente no congresso trabalhista marcado para finais de 2007, altura em que poderá passar o testemunho ao actual responsável das Finanças Gordon Brown.