Última hora

Última hora

Zacarias Moussaoui condenado a prisão perpétua

Em leitura:

Zacarias Moussaoui condenado a prisão perpétua

Tamanho do texto Aa Aa

Foi com a frase “América, tu perdeste, eu ganhei” que o francês Zacarias Moussaoui iniciou a pena de prisão perpétua a que foi condenado, esta noite, pelo tribunal federal de Alexandria, no leste dos Estados Unidos.

Após 10 dias de deliberações, os membros do júri recomendaram que Moussaoui passasse o resto dos seus dias na prisão por cumplicidade com os autores dos atentados do 11 de Setembro. A decisão do tribunal parece ser do agrado da maior dos familiares das vítimas. Abraham Scott, que perdeu a mulher nos atentados do 11 de Setembro, congratulou-se com o facto de “pelo menos um responsável pelos ataques ter sido julgado”. Carie Lemack perdeu a mãe e referiu que “Moussaoui vai ficar na prisão o resto da vida e é exactamente o que merece” e acrescenta que “ele queria ser da Al-Qaida e não merece nenhum crédito pelo 11 de Setembro, porque não fez parte dos ataques e ainda bem que o júri reconheceu que ele só queria matar americanos, mas nem sequer teve capacidade para fazer isso”, concluiu. Moussaoui, de 37 anos, foi detido em Agosto de 2001, por infracções às leis da imigração. Posteriormente foi acusado de estar envolvido indirectamente nos atentados mais sangrentos da história dos Estados Unidos. Para o advogado da mãe de Zacarias Moussaoui, “o júri teve o mérito de resistir às pressões”. Patrick Baudouin congratula-se com o facto de “uma sentença tão bárbara como é a pena de morte, inaceitável em quaisquer circunstâncias, não ter sido aplicada porque evita que se acrescente mais barbaridade à barbaridade.”