Última hora

Última hora

Festival de cinema alimenta economia de Cannes

Em leitura:

Festival de cinema alimenta economia de Cannes

Tamanho do texto Aa Aa

Cannes é por estes dias ponto de passagem incontornável para quem tem um nome no mundo do cinema. O festival da sétima arte atrai milhares de fãs e cinéfilos mas é, sobretudo, um dos encontros chave para produtores, distribuidores, cineastas e actores. Por detrás da gigantesca vitrina do festival, têm lugar o maior mercado cinematográfico do Mundo. No ano passado, Cannes acolheu nove mil profissionais do sector.

Incontornável é também o glamour ligado ao certame e, para as maiores fortunas da galáxia do cinema, tudo passa pela estada num dos grandes hotéis: os reputados palácios da “Croisette”.

O Carlton é um deles. A directora de comunicação, Narjis Falcoz, controla todos os detalhes para acolher um cliente importante, o presidente do júri de Cannes 2006. E tudo começa com a mensagem de boas-vindas para o realizador Wong Kar Wai e a esposa, que vão transformar o hotel em residência por 15 dias.

Em homenagem o hotel vai atribuir o nome do cineasta a uma suite. O realizador Wong Kar Wai é o primeiro chinês a presidir o júri de Cannes e, à chegada ao hotel, diz estar contente e sentir-se honrado.

Não muito longe do Palácio do Festival fica um outro hotel cujo nome está ligado às cerimónias. Este ano, o Majestic vai receber estrelas como os actores Samuel L. Jackson ou Gérard Depardieu.

Os mínimos desejos serão realizados, pois para o Majestic o festival representa 15% das receitas anuais. O director, Eric Boonstoppel, explica: “Este ano, mais uma vez, organizamos o jantar de encerramento. São 700 pessoas no salão dos embaixadores e mais 800 na praia do Majestic. Necessita uma certa logística e ao mesmo tempo devemos garantir uma certa qualidade dos produtos, o que faz a reputação de palácios como o nosso”.

No final, os dez dias de Festival, com todo o seu glamour, os esperados desfiles brilhantes, as numerosas negociações e inúmeros visitantes, animam a Riviera francesa e movimentam os negócios da cidade antes mesmo do início oficial da época balnear.