Última hora

Última hora

Porta-aviões Clemenceau regressa a casa

Em leitura:

Porta-aviões Clemenceau regressa a casa

Tamanho do texto Aa Aa

O Clemenceau, antigo símbolo da marinha francesa, chegou esta manhã ao porto que o viu nascer. O porta-aviões rebaptizado “Q 790” iniciou a fase de amaragem por volta das 10h locais, menos uma hora em Lisboa. Esta fase deverá durar dois dias. As manobras delicadas de aproximação ao porto estão a ser executadas por uma dezena de rebocadores da marinha francesa.

O regresso a casa acontece após um périplo de 18 mil quilómetros. Em Dezembro de 2005, o navio partiu do porto francês de Toulon com direcção à Índia ou mais precisamente aos estaleiros navais de Alang. Em Fevereiro, a justiça indiana recusou o desmantelamento do porta-aviões em território nacional. Poucos dias antes de uma visita de Estado de Jacques Chirac a Nova Deli, Paris deu ordens ao Clemenceau para voltar para a costa francesa. A saga Clemenceau dura há mais de dois anos, quando o executivo de Paris e organizações ecologistas se envolveram num verdadeiro conflito judicial e mediático devido à quantidade de amianto presente no vaso de guerra.