Última hora

Última hora

Vítimas do terramoto de sábado são mais de cinco mil

Em leitura:

Vítimas do terramoto de sábado são mais de cinco mil

Tamanho do texto Aa Aa

O número de vítimas mortais do terramoto de Sábado na Indonésia supera as cinco mil, num momento em que o governo anuncia que vai prolongar o estado de emergência nas zonas afectadas por mais três meses.

O fornecimento de comida, assistência médica e abrigo aos milhares de refugiados é para já uma prioridade para Jacarta e para as organizações humanitárias no terreno. Os socorristas começam a perder a esperança de encontrar sobreviventes sob os escombros dos mais de 35 mil edifícios destruídos pelo terramoto. À semelhança da crise humanitária após o tsunami de 2004, as organizações humanitárias apontam críticas à gestão do governo e à lentidão na distribuição de víveres à população. A Cruz Vermelha refere a existência de mais de 20 mil feridos e 100 mil refugiados, números que são dez vezes superiores àqueles da contabilidade oficial. Três quartos do número total de vítimas registaram-se na cidade histórica de Bantur. O terramoto de sábado, de intensidade de 6,3 na escala de Richter teve o seu epicentro a apenas 25 km a sul da cidade de Yogyakarta, onde faltam agora água potável, electricidade, médicos e medicamentos. Nas duas cidades e pela segunda noite consecutiva, milhares de refugiados tiveram que dormir ao relento, sob uma chuva torrencial. Apesar das promessas de ajuda internacional e de Jacarta, uma refugiada afirma que, “continua à espera de auxílio” e que se sente “desamparada”. Uma equipa da ONU deverá chegar à região afectada nas próximas horas para fazer uma primeira avaliação dos danos causados pelo terramoto. Jacarta, por seu lado, promete que a reconstrução e reabilitação estarão terminadas dentro de um ano. O terramoto de sábado foi o quarto abalo destruidor registado nos últimos 17 meses na Indonésia e ameaça agravar a actividade do vulcão Merapi, que faz pairar uma nova ameaça sobre a população da ilha de Java.