Última hora

Última hora

Timor volta a amanhecer com violência

Em leitura:

Timor volta a amanhecer com violência

Tamanho do texto Aa Aa

A chama da violência continua a semear o medo e a instabilidade político-institucional naquele que é o mais jovem país do mundo. Esta quarta-feira registaram-se mais incidentes em Timor-Leste. Num mercado de Comoro uma pessoa ficou ferida na sequência do ataque de um grupo de cerca de 50 civis armados.

Um vendedor local, citado pela agência Lusa referiu que os autores da violência são os mesmos que pertenciam às milícias pró-Indónesia de 1999. Nesse ano do referendo, Ian Martin era representante da ONU e esta quarta-feira, foi recebido pelo Presidente Xanana Gusmão. Hoje chegaram as tropas neozelandesas que vão participar nas operações de restabelecimento da ordem nas ruas. As condições nos centros de acolhimento dos desalojados começam a tornar-se insustentáveis. Os víveres escasseiam. De acordo com a ONU, existem mais de 60 mil pessoas desalojadas. “Não temos água suficiente porque é apenas distribuído de hora em hora e o campo está sobrelotado”, referiu uma timorense. Na esfera política, os olhares estão centrados no braço-de-ferro entre o primeiro-ministro e o presidente. Mari Alkatiri recusa demitir os ministros da Defesa e da Segurança conforme exigido por Xanana Gusmão.