Última hora

Última hora

Aperta-se o cerco diplomático em torno do regime iraniano

Em leitura:

Aperta-se o cerco diplomático em torno do regime iraniano

Tamanho do texto Aa Aa

Pela primeira vez desde o início da crise em torno do dossiê iraniano, Reino Unido, França, Alemanha, Estados Unidos, Rússia e China estão todos de acordo,no dia em que se reúnem para discutir o tema em Viena.

Segundo fontes diplomáticas Pequim e Moscovo abandonaram a renitência em impor sanções caso o país não cesse o enriquecimento de urânio e Washington afirma agora, pela primeira vez, que está pronto a sentar-se à mesa das negociações com Teerão. Um gesto anunciado ontem como de boa-vontade por Condoleeza Rice, que não deixou de sublinhar que só ocorrerá, “quando o Irão parar as actividades nucleares”. Rice lembrou ainda a determinação de Washington em defender o que chamou de “segurança comum”. O consenso internacional sobre o nuclear iraniano soa agora a uma última oportunidade para Ahmadinejad. Do lado do governo alemão, que tem desempenhado o papel de conciliação mais importante nesta crise, o ministro dos Negócios Estrangeiros Frank Walter Steinmeier sublinhou ontem que, “a mudança de posição de Washington cria uma oportunidade óptima para encontrar uma solução para a crise”. Apesar do optimismo que rodeia as negociações desta tarde em Viena, fontes diplomáticas referem que Washington tem já preparada uma lista de sanções a aplicar a Teerão em caso de não cooperação, que deverá igualmente ser discutidadurante o encontro. Nos últimos dias Teerão tem diminuído significamente as actividades nucleares em resposta à pressão crescente. Vários analistas referem que as eventuais sanções discutidas em Viena terão como alvo prioritário os altos dignitários do regime.