Última hora

Última hora

PM cessante da República Checa pode recorrer do resultado eleitoral

Em leitura:

PM cessante da República Checa pode recorrer do resultado eleitoral

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro cessante da República Checa poderá recorrer do resultado das eleições legislativas deste fim-de-semana. Jiri Paroubek diz-se alvo de uma campanha de calúnias e anunciou que poderá pedir ao Supremo Tribunal Administrativo a invalidação do escrutínio.

O líder social-democrata recusa assim aceitar a derrota, praticamente certa numa altura em que está apurada a quase totalidade dos votos. O triunfo poderá ter ficado para os Democratas Cívicos de Mirek Topolanek, com uma vantagem mínima de votos, mas nada é claro neste momento pois qualquer que seja o vencedor terá de fazer uma coligação para governar. Os últimos dados indicam que os partidos de esquerda e de direita estão empatados no parlamento, há 100 lugares eleitos para cada lado. Os resultados provisórios indicam que os conservadores do ODS recolheram 35,4% dos votos contra 32,3% para os sociais-democratas. Os comunistas, apesar da forte quebra, são a terceira força mais votada, com 12,8% dos sufrágios. Destaque ainda para os resultados dos democratas-cristãos e dos Verdes, os restantes partidos a ultrapassar a marca necessária para entrar no parlamento. No caso dos ecologistas, a proeza ficou a dever-se ao trabalho do líder Martin Bursik, que se mostra muito satisfeito com o resultado, diz que é a primeira vez que os Verdes conseguem ter deputados no parlamento. Os números definitivos do escrutínio vão estar dependentes do eventual recurso social-democrata. Mas a confirmar-se este triunfo conservador, teme-se que a República Checa venha a assumir uma postura eurocéptica. É que apesar de pretender aderir ao Euro, o provável futuro primeiro-ministro quer reduzir o défice público antes de dar novos passos rumo à Europa.