Última hora

Última hora

Comunidade islâmica contesta polícia londrina

Em leitura:

Comunidade islâmica contesta polícia londrina

Tamanho do texto Aa Aa

250 manifestantes protestaram este domingo contra o raide policial efectuado no início do mês numa casa da zona oriental de Londres.

O protesto, organizado por membros da comunidade muçulmana, realizou-se junto à sede da Scotland Yard na capital britânica, depois de a operação ter culminadocom a detenção de dois homens suspeitos de terrorismo, entretanto libertados por falta de provas, etndo um dos organizadores da manifestação afirmado que “a comunidade muçulmana está bastante consciente sobre este tipo de acções e sobre o facto de muitas pessoas estarem a ser detidas, sem que no entanto alguém diga alguma coisa, por isso a confiança tem diminuido lentamente. Esta foi provavelmente a gota de água”. O responsável máximo da polícia londrina, Ian Blair, enfrenta um cada vez maior coro de vozes críticas , que pedem a sua cabeça. O deputado George Galloway é uma dessas vozes: “Sir Ian Blair, contra quem eu vou amanhã apresentar uma moção na Câmara dos Comuns, pedindo a sua demissão, tem que assumir a sua responsbilidade, erro após erro”. O numeroso contingente que no dia 2 de junho invadiu a casa de Forest Gate não encontrou qualquer vestígio de armas químicas que alegadamente os dois irmãos Abdul Kahar e Abul Kayar de 23 e 20 anos, estariam a esconder. O advogado da família já fez saber que os dois homens vão processar a polícia, pedindo uma indemenização de cerca de 700 mil euros, por danos de difamação.