Última hora

Última hora

Mais de uma dezena de palestinianos mortos em raide israelita

Em leitura:

Mais de uma dezena de palestinianos mortos em raide israelita

Tamanho do texto Aa Aa

Um novo raide aéreo do exército israelita sobre Gaza provocou a morte a 11 palestinianos. Pelo menos sete eram civis. Os outros dois eram activistas da Jihad Islâmica. O ataque foi muito preciso. Israel disparou dois mísseis contra uma carrinha que transportava roquetes Qassam, os mesmos que quase diariamente são lançados contra o Estado hebraico.

Tanto o Hamas no governo, como o Fatah do presidente Mahmoud Abbas, condenaram o ataque. O líder da Autoridade Palestiniana considera que Israel está a fazer terrorismo de Estado. O Hamas considera está a ser feita guerra aberta contra o povo palestiniano. Mushir al-Masri, deputado do hamas, apelida os ataques como “crimes de guerra, houve mais um ataque contra civis inocentes num local cheio de gente. É a prova de que os israelitas não vão negociar com os palestinianos e só querem comunicar pela via do crime e do terror”. O Fatah, partido do presidente da Autoridade Palestiniana Mahmoud Abbas, está igualmente pessimista. O deputado Saeb Erekat condena em nome do Fatah o raide israelita e a escalada de violência. Mais palestinianos morreram esta manhã e lamenta ter de dizer mas a “violência só provoca ainda mais violência”. O cenário no médio-oriente tem por isso tendência a piorar ainda mais. Entre os nove mortos neste último ataque havia duas crianças. Mais 28 palestinianos ficaram feridos. Segundo testemunhas, o segundo míssil foi lançado para a mesma zona onde a carrinha que carregava rockets foi bombardeada, mas desta vez uma imensa multidão encontrava-se no local.