Última hora

Em leitura:

Documentos de horror no Darfur


mundo

Documentos de horror no Darfur

“Massacre em grande escala” no Darfur é o que diz o relatório do procurador do Tribunal Internacional criado para o Sudão. A equipa de investigadores, dirigida por Luis Moreno Ocampo, recolheu informações baseadas em testemunhos, documentos e milhares de acusações sobre a morte de civis, efectuadas por certos grupos com intenções de genocídio.

“O nosso esforço de justiça deve contribuir para a protecção e prevenção de outros crimes no futuro. Precisamos de mais informação sobre os grupos que continuam a atacar as populações e a impedi-las de chegarem à assistência”, explicou Moreno Ocampo no Conselho de Segurança das Nações Unidas. A equipa registou acusações de centenas de violações, uma prática endémica entre os diferentes grupos envolvidos no conflito. Além dos massacres, às centenas de cada vez, a pilhagem e a destruição das aldeias são os crimes mais frequentes. No três estados do Darfur mais de duas mil aldeias foram devastadas. O relatório menciona ainda ataques frequentes contra pessoal de organizações humanitárias e soldados da paz. A guerra civil e a crise humanitária nesta província do Oeste do Sudão já causaram entre 200 mil a 300 mil mortos e 2 milhões e meio de refugiados, desde Fevereiro de 2003. O conflito opõe vários grupos rebeldes, que representam diferentes grupos étnicos negros, ao governo predominantemente árabe de Cartum.
Saiba mais:

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Atentado em Kandahar visa civis ao serviço das forças internacionais