Última hora

Última hora

Bill Gates deixa cargos na Microsoft em 2008

Em leitura:

Bill Gates deixa cargos na Microsoft em 2008

Tamanho do texto Aa Aa

As acções humanitárias falaram mais alto. Bill Gates, o homem mais rico do Mundo e fundador da Microsoft, vai abandonar progressivamente a administração do império do software. Até 2008, Gates pretende deixar o trabalho que ainda mantém na Microsoft. Gates é actualmente presidente não-executivo e chefe da equipa de criação de software.

“Há trinta anos, a Microsoft era apenas uma ideia minha e do Paul Allen. É espantoso ver no que essa ideia se transformou. Não só no que toca à empresa e às pessoas que lá trabalham, mas tamém ao impacto que teve: o computador pessoal é a ferramenta em termos de comunicação e criatividade”, declarações de Bill Gates há cerca de um ano, no trigésimo aniversário da empresa.

O software do grupo está presente em nove em cada dez PC do Mundo, graças ao Windows.

Bill Gates dedica-se agora mais à fundação humanitária que ergueu com a mulher, Melinda, em 2000, dotada de um fundo de 24 mil milhões de euros.

A Microsoft foi fundada em 1975 e, graças ao génio de Gates transformou-se de uma pequena empresa num gigante mundial com uma facturação anual de 34 mil milhões de euros.

Mesmo com o tempo muito ocupado com as acções humanitárias e uma conta bancária superior ao PIB de vários Estados, Gates continua a ser a alma criativa da Microsoft. O sucessor do Windows XP, chamado Windows Vista, deve chegar aos particulares no próximo ano, depois de vários adiamentos.

Nos últimos tempos, Gates tem dado a volta ao Mundo, celebrando acordos com vários governos.
Espera estar, daqui a dois anos, afastado dos cargos que ainda ocupa na Microsoft. Steve Ballmer, presidente executivo desde há seis anos, vê os poderes reforçados, enquanto Ray Ozzle deve substituir Gates como chefe da equipa criativa.