Última hora

Última hora

Forgeard debaixo de fogo

Em leitura:

Forgeard debaixo de fogo

Tamanho do texto Aa Aa

Noel Forgeard, antigo homem-forte da Airbus e actual presidente executivo da casa-mãe, EADS, está debaixo de fogo.

Forgeard está a ser investigado pela autoridade francesa dos mercados, por causa de um negócio menos claro com acções da empresa. Forgeard, como a maioria dos dirigentes do grupo, tinha opções para compra e venda de acções, as chamadas stock options, que exerceu num momento muito oportuno, ou seja, antes da queda a pique dos títulos, causada pelos atrasos nas entregas do Airbus A380.

Na quarta-feira, dia em que se soube destes atrasos, o título caíu 26%. Desde Março, a cotação desceu dos 35 para os 21 euros.

Além das transacções aparentemente oportunistas, Forgeard é também acusado de ter escondido a verdade sobre os problemas que levaram a Airbus a adiar as entregas de vários aparelhos A380, previstas para o próximo ano. Diz também que nada sabia em Março, altura em que exerceu metade das stock options que tinha, vendendo logo a seguir as acções ao dobro do preço e fazendo uma mais-valia de 2,5 milhões de euros. O mesmo fizeram os três filhos de Forgeard e vários dirigentes da EADS.

“No espaço de 15 dias houve uma série de pessoas a levantar as stock options, que por acaso pertenciam à direcção. Não houve pessoas de fora a fazer o mesmo, por isso de certeza que tinham informações privilegiadas”, diz o advogado dos pequenos accionistas.

A cabeça de Forgeard pode ser a primeira a rolar neste caso. Arnaud Lagardère, presidente não-executivo da EADS, disse já que o grupo estava em forte crise. Arnaud é o patrão do grupo Lagardère, o principal accionista privado francês na EADS, que tem também capitais alemães e espanhóis.