Última hora

Última hora

PM iraquiano propõe plano de reconcilia4ão nacional

Em leitura:

PM iraquiano propõe plano de reconcilia4ão nacional

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro iraquiano, o xiita Nuri al-Maliki, apresentou hoje ao Parlamento um plano de reconciliação nacional para tentar combater a insurgência sunita e a violência interconfessional no país.

A proposta prevê uma amnistia para prisioneiros e uma revisão de algumas cláusulas da Constituição rejeitadas pelos sunitas. As linhas gerais foram estabelecidas numa reunião com o presidente iraquiano, o curdo Jalal Talabani e o presidente do Parlamento, o sunita Mahmud al-Mashhadani. Maliki afirma que “o projecto de reconciliação e diálogo nacional visa reunificar o povo iraquiano, estabelecer as regras da unidade nacional e propagar um clima de paz entre as diferentes comunidades da sociedade” iraquiana. A proposta do primeiro-ministro recebeu o apoio de representantes sunitas, xiitas e curdos. Nas ruas, o plano de Maliki – que não avança medidas concretas para combater a violência recorrente – é recebido com algum cepticismo. Um habitante de Bagdade diz que a proposta “enfrentará muitos obstáculos, tais como os próprios interesses das autoridades e a influência de partidos estrangeiros no Iraque, que empurram o país para uma guerra civil”. Um outro afirma que “se o plano servir o povo iraquiano, do Norte ao Sul, será aceite”. “Alheia” à iniciativa de Maliki, Bagdade foi hoje palco de novos atentados bombistas. Os ataques, perpetrados num mercado, num autocarro e junto a um posto de controlo da polícia fizeram pelo menos seis mortos e quinze feridos.