Última hora

Última hora

Rebeldes chechenos desmentem versão do Kremlin

Em leitura:

Rebeldes chechenos desmentem versão do Kremlin

Tamanho do texto Aa Aa

A morte de Chamil Basaiev continua a merecer o destaque dos media russos. A televisão pública divulgou hoje novas imagens do local da explosão que vitimou o Inimigo n° 1 do Kremlin. A presença de um corpo é insuficiente para se dizer que se trata do cadáver do líder independentista checheno, algo que nem os jornalistas de Moscovo referem.

O que é certo é que os rebeldes morreram por causa de uma explosão enorme que destruiu completamente um camião e cujo sopro atingiu violentamente a viatura ligeira onde seguia Chamil Basaiev. O Kremlin anunciou a morte do chefe rebelde como consequência de uma operação das forças especiais russas. Algo que é desmentido pelos rebeldes num site da internet. Os independentistas explicam que o camião estava carregado de explosivos e que o rebentamento foi acidental.

Seja como for, o presidente russo congratulou-se com a morte do seu principal inimigo. Putin afirmou tratar-se do castigo merecido pelo massacre de Beslan e restantes atrocidades reivindicadas pelo chefe de guerra checheno.

De acordo com os serviços secretos russos, Chamil Basaiev preparava um atentado na Ingúchia, república do Cáucaso russo onde perdeu a vida. O ataque deveria coincidir com a reunião do G8 que vai realizar-se este fim-de-semana em São Petersburgo e onde Putin vai receber os dirigentes das sete nações mais ricas do mundo.