Última hora

Última hora

Balanço trágico da ofensiva israelita na Faixa de Gaza

Em leitura:

Balanço trágico da ofensiva israelita na Faixa de Gaza

Tamanho do texto Aa Aa

A captura de soldados israelitas pelo Hezbollah foi celebrada também pelos palestinianos, que vêem nos ataques do grupo xiita libanês uma forma de vingança contra o inimigo, sobretudo, quando este intensifica a ofensiva na Faixa de Gaza. Em Khan Younés, no Sul do território, os disparos dos blindados hebraicos mataram pelo menos duas pessoas, aumentando para cerca de 20 as vítimas mortais palestinianas só esta quarta-feira.

Ao longo do dia, Israel fez avançar as suas tropas pela parte central da Faixa de Gaza, dividindo o território em dois. Insensível aos apelos de moderação da comunidade internacional, Israel pretende avançar com a operação militar até libertar o soldado Shalit, raptado a 25 de Junho, e acabar com os ataques contra cidades israelitas.

O dia começou com um raide aéreo contra um edifício residencial da cidade de Gaza. O alvo era um dos radicais palestinianos mais procurados: Mohammed Deif. O braço armado do Hamas, as Brigadas Ezzedine Al-Qassam, dizem que o seu líder escapou à tentativa de assassinato.

O ataque fez pelo menos nove mortos, todos da mesma família, e 35 feridos. Um balanço que os radicais palestinianos prometem vingar.