Última hora

Última hora

Irão mais próximo da UE, garante Larijani à EuroNews

Em leitura:

Irão mais próximo da UE, garante Larijani à EuroNews

Tamanho do texto Aa Aa

O chefe iraniano das negociações do dossiê nuclear mostrou-se, em entrevista à EuroNews, mais próximo dos europeus do que do resto do mundo. Acusou os Estados Unidos de usarem apenas a linguagem da força. Ali Larijani oferece aos europeus uma energia mais segura em troca de cooperação.

EuroNews: Ali Larijani, que tem a dizer sobre os incentivos oferidos pela comunidade internacional? Qual é o problema para o Irão?

Larijani:
Agora não há problema em relação aos incentivos é preciso perceber é o que está por trás. Será que servem para estabelecer uma cooperação efectiva a longo prazo? Nestas negociações temos tentado ultrapassar os obstáculos às propostas que nos fazem, como sabe. Aceitamos o princípio de resolver o problema através das negociações; os outros assuntos terão de se resolver também ao longo deste processo.

EuroNews:
Porque está a falar num problema que tem de ser resolvido se assegura que o Irão não está preparado para criar armamento nuclear?

Larijani:
No Irão, temos um programa nuclear limpo. O Irão é membro da Agência Internacional de Energia Atómica e assinou o Tratado de Não Proliferação de Armamento Nuclear. Os inspectores da AIEA estão a fazer o seu trabalho nas nossas instalações, onde verificam tudo. Se algum país considerar que há ambiguidades no nosso programa nuclear, estamos ao dispôr para tirar dúvidas.

EuroNews:
Acha que os incentivos oferecidos são suficientes ou pretendem mais?

Larijani:
Não estamos contra as negociações, em qualquer circunstância; acreditamos firmemente que as saídas das crises se fazem pela via da negociação e pode entender-se facilmente que o Irão está pronto a dar todos os passos neste sentido. Queremos interagir construtivamente para criar uma boa base. Mesmo se houver algumas fragilidades o importante é que o pacote seja positivo. Tudo se pode resolver.

EuroNews:
Está à espera de alguma garantia especial como o fim da ameaça norte-americana de usar a força contra o Irão?

Larijani:
Mais importante do que essa garantia são as acções políticas dos Estados Unidos; eles devem mudar de orientação… porque é que têm de continuar a usar a linguagem da força a toda a hora? Podem usar a diplomacia e desenvolver políticas construtivas… as aproximações radicais que têm feito em relação aos assuntos regionais apenas criam problemas, fazem aumentar o preço do petróleo e provocam mais tensões
na região.

EuroNews:
Pensa que os membros da União Europeia que estão a participar nas negociações estão a conduzir-se de uma maneira mais sábia do que os Estados Unidos, do ponto de vista iraniano?

Larijani
Consideramos que há alguns países da União Europeia que fazem uma abordagem mais lógica em relação ao programa nuclear do Irão. Pensamos que há oportunidades e outro potencial para uma melhor cooperação entre ambas as partes. Há uma diferente maneira de ver as coisas, como o que pode o Irão oferecer à Europa e vice-versa, junta-nos de uma forma mais construtiva. Por exemplo, podemos fornecer energia segura à Europa, o que já é uma boa base de cooperação.