Última hora

Última hora

OMC: Rússia e EUA chegam a acordo

Em leitura:

OMC: Rússia e EUA chegam a acordo

Tamanho do texto Aa Aa

Mesmo antes da abertura do G8 foi levantado o obstáculo à adesão da Rússia à Organização Mundial do Comércio. O ministro russo das Finanças anunciou que Moscovo e Washington chegaram a acordo sobre os serviços financeiros, condição essencial à adesão. A Rússia é a maior economia existente fora da organização fiscalizadora do comércio a nível mundial.

Em S.Petersburgo, cidade onde se realiza a Cimeira do G8 a partir de sábado, os cidadãos comentam com satisfação o facto do seu país se juntar ao clube dos grandes e poderosos, aqueles que têm economias mais fortes e dão esse ênfase à sua política internacional.

As principais divergências durante as negociações de Moscovo e Washington eram relativas aos serviços financeiros. A Rússia sempre recusou a abertura do mercado aos bancos estrangeiros -apenas representações indirectas sujeitas à lei russa, que não trabalham com o público. Washington teve de ceder neste ponto. Em troca, Moscovo passa a permitir a abertura de sucursais de seguradoras estrangeiras.

A adesão à OMC estava a ser negociada desde 1993. As negociações fizeram-se em várias etapas. As últimas exigências de washington, chegaram a ser qualificadas de demasiado políticas pelo presidente Putin. Chegou mesmo a ameaçar deixar de aplicar as regras da OMC que a Rússia já segue há muito tempo, caso não entrasse na organização.

Com o acordo definitivo muitos contratos suspensos deverão ser concluídos.

A Gazprom pode anunciar a partir de agora o nome dos parceiros para a exploração no mar de Barents – há duas gigantes petrolíferas na corrida. E a Aeroflot também vai escolher a quem dá o contrato de fornecimento de 22 novos aviões de longo curso, à Boeing ou à Airbus.

No entanto, há zonas obscuras em que as regras da OMC não existem, simplesmente. No último mês de Março, Moscovo proibiu a importação de água mineral georgiana depois de já o ter feito com o vinho da mesma procedência. É evidente que o conflito político tem sido transposto para o terreno comercial.