Última hora

Última hora

Morreu último líder dos Khmers vermelhos no Cambodja

Em leitura:

Morreu último líder dos Khmers vermelhos no Cambodja

Tamanho do texto Aa Aa

Morreu o último líder dos khmers vermelhos no Cambodja. Em detenção desde 1999, Ta Mok, de 80 anos, devia ser julgado daqui a um ano por crime de genocídio num tribunal apoiado pela ONU. O “carniceiro”, como era conhecido devido às atrocidades que lhe são imputadas, estava hospitalizado desde Junho devido a problemas cardíacos e respiratórios. Segundo o seu advogado, antes de morrer não fez qualquer declaração.

Com a sua morte, perde-se uma testemunha preciosa para conhecer os factos por detrás do regime sanguinário dos kmer vermelhos. Companheiro e sucessor de Pol Pot, que morreu em 1998, o carniceiro era um dos dois dirigentes detidos a aguardar julgamento por acusações de genocídio e crime contra a humanidade. Agora resta apenas um acusado.

Os outros antigos dirigentes, todos de idade avançada e saúde frágil vivem livremente no Cambodja. Quase dois milhões de pessoas foram executadas ou morreram de fome e cansaço entre Abril de 1975 e Janeiro de 1979 sob o extinto regime comunista liderado por Pol Pot.