Última hora

Última hora

Tsahal assume posições no Líbano mas nega a ideia de invasão

Em leitura:

Tsahal assume posições no Líbano mas nega a ideia de invasão

Tamanho do texto Aa Aa

Tropas israelitas continuam a avançar no território libanês, mas o Tsahal recusa para já a ideia de uma invasão em larga escala. Israel avisou as populações civis de 13 aldeias do Sul do Líbano para abandonarem a região antes de mais raides da força aérea. Uma zona onde o exército israelita afirma que existem bases de lançamento de granadas de morteiro do Hezbollah. Entretanto um contingente de alguns tanques e umas dezenas de militares passou pelo posto avançado da ONU no Sul do Líbano e continuou a incursão rumo a uma aldeia já controlada por outros soldados israelitas.

Ao todo o Estado Hebreu terá já perto de 2000 homens em solo libanês. Segundo o New York Times, os Estados Unidos aceleraram também a entrega a Israel de bombas de precisão, uma notícia que promete irritar os países árabes vizinhos e que deixa antever que os ataques ao Líbano estão longe de terminar.

Nabatiya, no Sul do Líbano, sentiu este sábado a força destruidora do exército israelita com muitas zonas reduzidas a escombros. 11 dias de bombardeamentos fizeram já cerca de 350 mortos no Líbano, na sua maioria civis. Do lado de Israel 19 soldados e 15 civis perderam a vida. O governo de Telavive voltou a anunciar a abertura dum corredor aéreo e marítimo para permitir que a ajuda humanitária chegue ao Líbano.