Última hora

Última hora

Dia sangrento para o Tsahal

Em leitura:

Dia sangrento para o Tsahal

Tamanho do texto Aa Aa

O exército israelita confirmou a morte de nove militares em confrontos com o Hezbollah, nos sectores de Bint Jbail e Maron al-Ras, no Sul do Líbano. Outros 25 homens ficaram feridos. A cadeia de televisão do Qatar, Al Jazeera, tinha antes noticiado a morte de 13 soldados israelitas. Os combates de ontem foram os mais violentos desde o início da ofensiva, desencadeada após o rapto de dois soldados israelitas pelo Hezbollah no dia 12.

Um militar ferido nessa operação do movimento xiita libanês – onde morreram oito soldados hebreus – diz que “era um dia calmo, tudo estava normal; então, foram apanhados numa emboscada do Hezbollah, que disparou contra eles de todas as direcções”.

Desde o início dos confrontos, o Tsahal perdeu 33 homens. Enquanto falha a diplomacia e os combates se intensificam, as famílias dos dois soldados sequestrados pelo Hezbollah apelam ao fim do conflito e acusam Israel de não os ajudar a recuperar os seus familiares. A mãe, o padrasto e o irmão de Ehud Goldwasser, juntamente com o irmão de Eldad Regev, deram ontem uma conferência de imprensa em Paris, onde pediram a ajuda ao governo francês.

O padrasto de Goldwasser diz que “precisam de saber se eles estão bem, saudáveis, e se alguém é capaz de ajudar a trazê-los para casa, algo que o exército israelita não consegue fazer”.

O grupo judaico Siona, que ajudou a organizar a deslocação a França, fez saber que hoje são esperados familiares do soldado Guilad Shalit, sequestrado por militantes do Hamas em Gaza, a 25 de Junho.