Última hora

Última hora

Bombardeamento de Canaã mata pelo menos 60 libaneses

Em leitura:

Bombardeamento de Canaã mata pelo menos 60 libaneses

Tamanho do texto Aa Aa

São pelo menos 60 as vítimas mortais, na sua maioria mulheres e crianças, resultantes do bombardeamento de Canaã, este domingo de manhã. Um número que deverá aumentar na medida em que as operações de socorro ainda não terminaram. Durante duas horas, dezenas de edifícios da aldeia do sul do Líbano, situada a este de Tiro, foram
parcial ou completamente destruídos, um dos quais era um abrigo com 63 pessoas no interior. Israel atribui a responsabilidade do drama ao Hezbollah, que acusa de usar a aldeia para lançar roquetes, e afirma que tinha pedido várias vezes aos habitantes para partir.

Há 10 anos, ou mais precisamente, no dia 18 de Abril de 1996, Canaã foi também alvo de uma operação idêntica. O objectivo era atacar o Hezbollah, mas o balanço foi de 105 civis mortos. A comunidade internacional já reagiu a este ataque. A secretária de Estado norte-americana Condoleezza Rice, que se encontra em Israel pediu a Telavive para ter mais cuidado na escolha dos alvos.

O alto representante da política externa europeia, Javier Solana, condenou o bombardeamento ao referir que nada o pode justificar. Logo após o ataque o governo libanês solicitou uma reunião de urgência do Conselho de Segurança das Nações Unidas, apelo que teve resposta positiva de Kofi Annan. De acordo com o Ministério libanês da Saúde, desde o dia 12 de Julho, já morreram 750 libaneses e mais de 2.000 ficaram feridos.