Última hora

Última hora

Líbano: suspensão dos bombardeamentos não põe fim à guerra

Em leitura:

Líbano: suspensão dos bombardeamentos não põe fim à guerra

Tamanho do texto Aa Aa

Os raides aéreos no Líbano estão suspensos até à madrugada de quarta-feira, mas os ataques no terreno entre o exército israelita e o Hezbollah prosseguem. Esta segunda-feira, um projectil israelita atingiu uma coluna militar libanesa, próximo da cidade portuária de Tyro, a pouco mais de 80 quilómetros de Beirute. Um soldado libanês foi morto, três ficaram feridos.

Por seu lado, o Hezbollah reivindica o abate de dois tanques israelitas na zona de fronteira entre os dois países, dois ataques que terão deixado feridos três soldados israelitas. Israel deixou bem claro que a pausa dos bombardeamentos não significa o cessar-fogo. O ministro da Defesa disse-o no parlamento esta manhã, apesar dos protestos de alguns deputados.

O Estado hebraico tenciona prosseguir a ofensiva até ser deslocada para a região uma força internacional de estabilização, o que pode demorar ainda algumas semanas, mesmo que a ONU consiga aprovar a resolução nos próximos dias e avisa que continuará a disparar sobre os operacionais do movimento xiita, detectados a preparar ataques.

Por seu lado, o Hezbollah afirma que os ataques ao território israelita vão continuar até que o Tsahal pare a ofensiva e retire as tropas do Líbano. A artilharia israelita continuava, esta segunda-feira, a atacar alvos e a tomar posições no Vale de Khiam, enquanto os combates prosseguem na agora deserta cidade de Bin Jbeil, bastião do Hezbollah, junto à fronteira. Desde o início da guerra, a 12 de Julho, já morreram mais de 600 pessoas na grande maioria civis.